Armazém3bruxas
×
 x 

Carrinho vazio

O QUE É PAGANISMO?

Escrito por
Avalie este item
(4 votos)

A centralização ancestral de toda a humanidade!

Essa antiga perspectiva permanece ativa em grande parte do mundo atual, tanto em civilizações herméticas como no Japão e na Índia, quanto em sociedades menos complexas em todo o planeta Terra. O paganismo foi a visão das religiões europeias da antiguidade clássica: Pérsia, Egito, Grécia e Roma, bem como de seus vizinhos “bárbaros”. Sua aceitação pode ser vista como Tripla: a veneração à natureza, o saudar ao Sagrado Masculino e ao Sagrado Feminino em suas variadas faces e correspondências advindas dos Elementos e seus Elementais.

À medida que a igreja primitiva foi se fidelizando, no âmbito generalizado o monoteísmo tomou forma. A ferro e fogo, o pagão passou a ser chamado de alguém que não era cristão, originando assim a denominação de uma crença ou religião não cristã - se a religião não se enquadrava nos moldes judaico-cristão-islâmico ou oriental, o praticante estaria envolvido no paganismo, ou seja, a crença politeísta há ser vista altamente criminosa, endemoniada, ou até mesmo ateísta.

A MINHA DEFINIÇÃO

  • PAGANISMO: uma tradição de adoração à natureza politeísta ou panteísta. Não é dogmática (não existe uma verdade absoluta). Seguida é a visão própria do Sagrado como uma experiência direta e pessoal;
  • PAGÃO: o seguidor ao paganismo - pode ser formado em tradições particulares ou seguir sua própria inspiração;
  • NEOPAGÃO: todo aquele que reconhecidamente é pagão, mas que não adere a nenhuma das tradições correlacionadas;
  • ATEÍSMO: é a ausência de crença na existência Sagrada e em todas as suas correspondências;
  • ATEU: todo aquele que é cético em relação a afirmações sobrenaturais - a intolerância na falta de evidências que prove sua existência;
  • HENOTEÍSMO: a crença em um Deus único, porém  aceita a existência possível de outras divindades;
  • MONOTEÍSMO: a crença em uma única divindade, ao lado da qual todas as outras são falsas.

O Sagrado é reconhecido por mim, como uma característica natural personificada no mundo materializado através da natureza e todas as correspondências cósmicas: uma montanha, um lago, uma nascente, todas as divindades guardiãs cultuadas e reverenciadas nos ciclos naturais da "Roda Anual", onde em suas diferentes estações, presenteia-nos com o crescimento e renovação espiritual. Em suas sequências sazonais marcadas pelos festivais (Sabbats) e nos ciclos lunares  (Esbats), oferece-nos o acesso a diferentes divindades de acordo com a nossa afinidade.

VEJO A PRÓPRIA TERRA COMO SAGRADA...
O ÚTERO DE GAIA!

Reconheço o Sagrado na diversidade da natureza e no Cosmo.

Outros no mundo moderno veem todas as Deusas como uma Grande Deusa e todos os Deuses como um Grande Deus, cuja interação harmoniosa é o "Segredo dos Mistérios". Muitas são as visões de nossos irmãos e no resumo da simplicidade, classifico que nenhuma das opções são inválidas. O importante é que creem. Desde que sejam creditadas em cada uma delas o AMOR Maior, é o que importa - direto ou indiretamente alcançamos o ponto de chegada à evolução espiritual.

A DEUSA

Uma religião sem Deusas dificilmente pode ser classificada como pagã - As religiões pagãs reconhecem o Sagrado Feminino! Alguns caminhos pagãos, como o culto a Odin ou a Mitra, oferecem lealdade exclusiva a um Deus masculino, porém não negam a realidade de outros Deuses e Deusas, como fazem os monoteístas. A palavra "culto", sempre significou a veneração especializada de uma divindade ou panteão em particular, entretanto na era moderna foi estendida para caracterizar a adoração de um líder humano deificado ou semidivino. Em contraste desde o velho como no agora, as religiões não pagãs tais como: o judaísmo, cristianismo e o islamismo, abominam a ideia da divindade feminina - as classificam como "as degeneradas!"

A MAGIA

Dentro desta analogia apresento a prova fiel nas manifestações materializadas advindas dos campos vibracionais oferecidos no TODO - Eis o compartilhamento das informações, os "sinais sagrados", que em forma reconhecida no mundo tátil é classificada como “dons mediúnicos”, e eu a reconheço por "MAGIA"! A magia nos remete a fazer a leitura perfeita do ontem do agora, dentro do campo explícito ao interesse no favorecimento do equilíbrio do planeta e da própria raça humana. A magia, nada mais é que a produção deliberada de resultados neste mundo por meios dos Outros Mundos. Aceita é, como uma atividade viável em sociedades pagãs, pois que temos a ciência que os variados mundos estão em constante comunicação.

Em diversos manuscritos temos prova das tais ações magisticas:

  • Antiga Roma - uma nova noiva cerimonialmente ungia os portais de sua nova casa com gordura de lobo para manter a fome longe de sua família. Seu filho recém-nascido, recebia um amuleto consagrado para usar como proteção contra espíritos malignos;
  • Guerreiros nórdicos - na era viking, vibravam o “escudo de guerra” sobre seus inimigos para paralisá-los;
  • Anglo-saxões - praticavam a "arte sagrada" favorecendo a cura e fertilidade.

Em todas as concordâncias tradicionalistas advindas do Universo Sagrado, sempre existiu e sempre existirá a deliberação única na Lei Universal, onde a prática da magia tem de abster-se completamente de toda a fragmentação ao "Amor Maior".

Amor com egoísmo, amor com extorsão física ou agressões, amor com manipulações degenerativas a terceiros, jamais trouxeram ou trarão resultados a ascensão e sim a estagnação ou destruição.

Nos tempos atuais onde a aceitação as diversidades no contexto de gênero, número e grau estão mais que fragilizados (quase extintos), onde nossos irmãos trazem para si a intolerância, apenas porque "acham que são diferentes" dos que veneram um mundo natural e sobrenatural, ignoram e massacram todo aquele que se mantém em silêncio aos seus secretos em respeito ao princípio feminino e masculino, corporificado nas infinitas faces sagradas oriundas os vários panteões... Vejo o paganismo ser a estrada correta a oferecer a liberdade aos nossos irmãos. Por quê? Porque sei que na explosão vibracional da "Aliança Cósmica" atuante no agora neste solo sagrado, está o resplandecer da herança ancestral.

DA TERRA E PARA A HUMANIDADE...
Eis a volta da consciência plena descodificada.

Nesta releitura das cifras ora escondidas, rebrotarão os verdadeiros e antigos templos onde não haverá a divisão, a perseguição e sim, o compartilhamento da harmonia e a paz para com o planeta Terra e os seus filhos. O rebrotar da verdadeira semente a germinar o respeito, a alegria, a fartura, a responsabilidade, reciprocidade, dignidade e óbvio - o AMOR UNIVERSAL.

Afirmo e concluo que somente fora dos dogmas criados e revelados pela mão humana, seremos criativos, lúdicos e livres para definitivamente fundamentar a Aliança Sagrada na mente criativa (Eu Superior), com o Poder Maior Universal - o respeito por toda a vida e o desejo de participar, em vez de dominar. Acredito e confio nesta criativa aceitação pagã da vida que achega trazendo algo novo para o verdadeiro conceito em religião e ao comportamento social - Um modo de pluralismo sem fragmentação, livre e jamais com anarquia.

EIS O RENASCIMENTO DA VELHA SABEDORIA...
em uma nova forma adaptada às necessidades dos dias atuais!

Bênçãos Plenas

Simone Gomes Pedrolli

Toda a “Vida” procede da Luz, e a Luz se origina da consciência.
Desejo que as sementes aqui lançadas sejam o semear de um novo jardim colorido e UNO!
Bençãos Plenas

REGISTRE-SE OU FAÇA O LOGIN PARA POSTAR COMENTÁRIOS
×

TOP